Crítica – A Cura

O filme de hoje é A Cura, dirigido por Gore Verbinski. Ele tem 2h e meia e estréia diaa 16/02.

A Cura conta a história de um executivo que precisa ir a um spa nos Alpes Suiços conversar com um dos chefões da empresa. Chegando lá ele descobre que o spa não é bem o que parece e existem coisas misteriosas envolvendo seus tratamentos miraculosos.

Vamos começar pela parte tecnica, que é a mais encantadora de todas. O filme é dirigido pelo Gore, mesmo diretor do Chamado. E a fotografia é simplesmente incrível. Os planos são todos muito bonitos e a luz utilizada (que varia para cada parte do filme) está muito bem aplicada.

O roteiro é bem feito, mas tem um pouco de coisa de mais. É difícil explicar sem dar spoilers, mas basta dizer que existem muitas camadas em volta do problema principal. No fim das contas está tudo muito bem amarrado, mas é bastante informação e precisou de um tempo pra digerir.

Ainda no roteiro, o ritmo que as coisas acontecem foi muito bem planejado. Claro que é um conjunto de fatores (que inclui fotografia e edição), mas se a história não for boa infelizmente não tem fotografia e montagem que compensem. O filme tem cerca de 2h e meia, que passam com certa rapidez (e de forma nada cansativa).

O filme tinha hype muito forte (saíram trailer incríveis, inclusive no superball) e o mostro da espectativa não cobrou seu preço, como é muito comum (inclusive foi o caso de Aliados, filme do qual falamos ontem). A Cura te faz questionar a sanidade mental do personagem e a forma como vivemos procurando soluções para problemas que nem sempre são problemas de verdade.  Poderia ser um senhor clichê, mas é verdade e é legal.

Recomendo bastante. Tem algumas cenas nojentas (preparem o estômago) mas é um ótimo suspense!

Se quiserem ver mais, vou sugerir o video abaixo:

<iframe width=”560″ height=”315″ src=”https://www.youtube.com/embed/oOLMy7_c72E” frameborder=”0″ allowfullscreen></iframe>

Nanna Mastrogiovanni

Youtuber, blogueira e amante de livros.

%d blogueiros gostam disto: