5 motivos para ter um escritório Pet-Friendly

Liberar os pets dos funcionários no ambiente de trabalho é muito positivo, porém requer um bom planejamento. A paixão pelos animais atingiu definitivamente um novo patamar. Os funcionários de quatro patas já são amplamente utilizados em hospitais, aeroportos e como cães-guia. Isso mostra que eles são capazes de enfrentar uma “rotina de trabalho” de uma forma positiva. Por isso é que a iniciativa tem avançado tanto, deixando os animais e seus donos muito felizes!

Se em casa os pets já proporcionam integração, alegria e descontração, no ambiente de trabalho eles podem ser ainda mais benéficos. Saiba mais:

1 – Melhora no desempenho profissional

Uma pesquisa recente do Hospital Veterinário de Banfield, da Mars Petcare (Estados Unidos), comprovou que, para 93% dos 1200 pesquisados, os animais geram mais motivação durante o dia a dia de trabalho.

2 – Diminuição do estresse

Outro estudo, desta vez realizado na Virginia Commonwealth University, nos Estados Unidos, sugere que a presença dos animais nos locais de trabalho reduz os níveis de estresse. O benefício atinge tanto os donos dos pets quanto os demais funcionários.

3 – Aumento do potencial criativo

A rotina muda quando há um pet dentro do escritório. E essa mudança é muito positiva para que os profissionais saiam do “modo automático” e comecem a pensar de uma forma diferente, muitas vezes inspirados por uma simples atitude comum para o animal.

4 – Aumento na satisfação com a empresa

Nos escritórios pet-friendly, a presença de animais de estimação pode melhorar a sensação de bem-estar, a satisfação organizacional e a percepção de apoio oferecida pela empresa, tornando os funcionários muito mais engajados.

5 – Retenção de talentos

Permitir a presença dos pets pode ser um diferencial competitivo na retenção de talentos. O bom clima no ambiente de trabalho, a informalidade e a flexibilidade das empresas são formas eficazes de garantir a permanência do colaborador sem gastar muito.

Como se preparar para aceitar os pets?

Empresas de todos os portes e setores podem liberar os animais no trabalho, mas não em todos os locais. Escritórios são os ambientes mais adequados, pois são seguros e fechados. Em linhas de produção, por exemplo, é impossível permitir a entrada do animal.

Leve em consideração a opinião dos colaboradores para saber se eles possuem animais de estimação, se gostariam de levá-los ao trabalho e se os demais iriam se importar. Há pessoas que não gostam de pets, dos seus pelos ou têm graves alergias, então, é essencial respeitar a maioria.

Se a participação dos animais foi aceita, comece a estabelecer algumas regras: que tipo de animal está permitido? De qualquer porte? Em quais dias da semana? Eles poderão circular em todos os locais, como as salas de reunião e a lanchonete? Quem ficará responsável por limpar a bagunça?

Também é preciso fazer um trabalho de conscientização com os donos. Os animais não podem ser agressivos, devem ser obedientes e não podem interferir no trabalho dos colegas. Além disso, o proprietário do animal fica responsável por providenciar tudo o que ele precisa para se comportar bem, como a ração, a coleira e a cama.

O mais importante de tudo é proteger a saúde dos colaboradores e dos próprios pets. Para se certificar disso, é essencial verificar a carteira de vacinação do animal e orientar os donos a deixá-los em casa quando tiverem pulgas e carrapatos, estiverem doentes ou após uma cirurgia, por exemplo.

Opcionalmente, a empresa pode oferecer assistência aos pets enquanto os donos trabalham. Monitores para recreação, serviço de leva e traz até uma clínica veterinária ou pet shop, adestradores e petiscos são algumas opções. Caso a equipe de limpeza faça a remoção dos detritos dos animais, considere fazer um reforço no número desses colaboradores.

No entanto, antes de mais nada, o que uma empresa deve fazer para incluir os animais na rotina é avaliar se a sua estrutura comporta esse benefício. Se você está pensando em comprar ou alugar escritório, leve isso em consideração. Caso contrário, verifique se é possível fazer pequenas mudanças na estrutura atual para viabilizar a ideia.

Assim como se tornar proprietário de um pet exige planejamento e organização, é essencial que a empresa faça o mesmo. Só assim a iniciativa dará bons resultados, tanto para os animais quanto para seus colaboradores.

 

 

 

 

Allison Diogo

Futuro Administrador e produtor de conteúdo para o Youtube e afins.

%d blogueiros gostam disto: