Dominação (Incarnate): Apenas mais um filme sobre exorcismo?

​Sinopse: Um exorcista não convencional, que é capaz de entrar no subconsciente de uma mente possuída, conhece uma outra pessoa com a mesma capacidade enquanto confronta seu próximo caso, um garoto de nove anos de idade que está possuído por um demônio do seu passado.
Ser crítico de cinema tem feito eu enfrentar velhos medos, um deles é filmes de exorcismo, a perna que da início a uma corrida, para sair da sala de cinema chega até a tremer

 

Estreia no próximo dia 5 de Janeiro o filme Dominação (Incarnate) do diretor Brad Peyton, pra falar verdade ele ainda não emplacou um grande filme até momento em 8 anos de carreira. Devo me preocupar com isso?

 

Claro, isso diz muito sobre o filme, pois ele é a visão, ou ideia do diretor! Mas dei um crédito para diretor deixei passar, só dessa vez. O melhor filme de exorcismo até é hoje foi o clássico Exorcista e em segundo lugar na minha humilde opinião figura o “Exorcismo de Emilly Rose”, maaaas digamos que Dominação tem tudo para figurar no segundo e lhes conterei o porque.

 

O filme propõe uma nova dinâmica diferente dos outros, de início não tem aquele roteiro chato e tradicional que envolve religião, na verdade até temos a igreja católica em segundo plano, mas nem de longe tem um papel importante na história. O que temos é um psicoterapeuta com uma habilidade de entrar na mente das pessoas possuídas e expulsar o demônio de dentro para fora. Nesse contexto temos a oportunidade de ter acesso a uma nova perspectiva de como funciona a mente de uma pessoa possuída (pelo ritmo ragatanga, pelo demônio mesmo, que é quase parecido com o ritmo também). No enredo o demônio é tratado como um parasita, que possui o hospedeiro, se alimenta de sua energia proporcionando um sonho muito real, assim, quem o possui não sabe por exemplo que está em um sono profundo, enquanto o demônio assume suas atividades motoras. Legal né!

 

Você deve notar durante o filme que há furos na história sobre a origem do demônio principal e a dimensão de sua força, há perguntas de como funciona o dom do psicoterapeuta. Esses detalhes incomodam, mas não tiram o brilho do filme. Vale a pena assistir para os amantes do gênero, mas não se esqueça, é um filme de exorcismo e não de terror! Até logo, pessoal!

 

Confira o trailer:

Sam Matos

Sou designer, CEO da Agência Aldeia Thisam, estudante de arquitetura na maior parte do dia e escritor quando dá!

%d blogueiros gostam disto: