Como prevenir o estresse canino e suas causas

Parece invenção, mas o estresse é uma realidade que pode afetar muitos cães. Saiba quais são os sintomas e como evitá-lo

 

Assim como os seres humanos, os cães também têm sentimentos, emoções e necessidades. Quando alguma dessas características não é suprida, é possível que o animal possa sofrer quadros de estresse canino.

O estresse canino é um problema real, mas é muito subjetivo e particular, pois pode atingir cada pet de uma maneira diferente. Normalmente, a condição se manifesta a partir de uma mudança de rotina que não esteja de acordo com as necessidades do seu amigo de quatro patas.

Os pets vivem nos dando sinais quando algo não está certo, inclusive quando estão estressados. Por isso, é importante ficar atento às possíveis mudanças de comportamento do seu melhor amigo para evitar o mais cedo possível quaisquer consequências do estresse canino.

Confira abaixo alguns comportamentos que podem mostrar que seu cãozinho está estressado e saiba como ajudá-lo. Lembre-se que é importante consultar o médico veterinário de sua confiança se considerar necessário.

 

Comportamentos compulsivos e repetitivos

Um dos principais sinais de que o cão está estressado é quando ele começa a ter hábitos compulsivos e repetitivos. Muitos cães demonstram essa alteração em seu estado de espírito se lambendo, salivando ou se coçando excessivamente, correndo atrás do rabo, latindo sem parar ou andando em círculos.

Ofegar em excesso

Ao ofegar, o cachorro está eliminando o calor do corpo. Se perceber que seu cãozinho está ofegante quando deveria estar tranquilo – por exemplo, logo ao acordar ou tirando um cochilo – é provável que ele esteja estressado e esteja tentando aliviar a tensão.

 

Apatia e depressão

Vale ficar de olho nas reações de seu cão aos estímulos que são oferecidos. Se seu amigo é animado, sociável e interativo mas, de repente, anda cabisbaixo, silencioso e isolado, algo pode estar errado.

Falta de apetite

Alguns cachorros são bastante gulosos – na verdade, a maioria deles! O estresse canino também pode dar sinais no estômago do seu pet. Fique atento a quaisquer mudanças nos hábitos alimentares do seu cão.

Perda de pelo

Quando o cachorro começa a perder pelos por conta do estresse, quer dizer que ele já está sendo fisicamente afetado por essa condição. É normal que qualquer cão solte pelos, mas redobre a atenção se perceber áreas sem nenhum pelo ou comportamentos como lambedura excessiva ou arrancar os pelos com os dentes.

 

Rigidez muscular

Muitos cães podem apresentar rigidez muscular quando expostos a situações que causam estresse. Para identificar esse comportamento, verifique se o cachorro está mais tenso e rígido que o habitual, com atenção à cauda e às extremidades do corpo, como se estivesse esperando que alguma coisa aconteça.

 

Hiperatividade

A hiperatividade é um sinal comum entre os cães estressados, pois tendem a serem incapazes de ficarem tranquilos. A destruição de objetos que estão a seu alcance, plantas, móveis ou qualquer outro item que encontrarem à sua frente é uma maneira de liberar a tensão.

 

Os cuidados com cães estressados

Conhecendo os comportamentos e a personalidade do seu cão, fica muito mais fácil identificar os sinais de estresse canino e também solucioná-lo. Os cuidados são cruciais para garantir o bem-estar do seu amigo. Confira abaixo algumas dicas:

 

Dê muito carinho e amor

Cães que passam muito tempo sozinhos podem se sentir mais estressados pela falta de interação humana. Por isso, sempre que estiver com o seu cãozinho, demonstre o quanto o ama e dê atenção a ele. Ele se sentirá seguro e amado, reduzindo seus níveis de estresse.

 

Brinque muito com seu cão

Cachorros são animais extremamente sociáveis e adoram brincar. Ofereça brinquedos variados, como bolinhas e ossinhos, e estimule seu cão a brincar com você e também quando estiver sozinho. É uma maneira saudável de liberar a tensão e gastar energia.

Ao conhecer bem seu cachorrinho, você conseguirá identificar quais são seus brinquedos favoritos e qual é o tipo de interação que ele mais gosta. Alguns cães preferem brincar de morder, enquanto outros são apaixonados por bolinhas ou puxar coisas.

Independentemente da brincadeira que seu amigo mais gosta, garanta que ele terá brinquedos em casa, pois ele poderá se entreter quando estiver sozinho também.


Estimule atividades físicas

Tenha uma rotina de passeios diários, convivência com outros cães e outras atividades físicas que ajudem seu cão a se distrair e liberar energia. Isso ajudará seu amigo de quatro patas a ficar menos estressado.

 

Proteja seu amigo

Se seu cão for medroso, não o leve a locais lotados ou barulhentos, por exemplo, onde ele poderá se estressar e ficar ansioso. Respeite a personalidade do seu amigo e evite a exposição a situações que você sabe que ele não gosta.

Invista em adestramento

Para alguns cachorros, a disciplina pode ajudar a reduzir o estresse. Ao serem adestrados, os cães desenvolvem a atenção, foco nas tarefas e exercitam o cérebro.

É possível contratar profissionais que atendam seu cãozinho na sua casa, levá-lo a grupos em escolas de adestramento ou até mesmo aprender a treinar o seu pet acompanhando tutoriais na internet e livros escritos por especialistas no tema.

 

Considere a castração do cachorro

A castração de cachorros pode ajudar a reduzir os níveis de estresse e acalmar cães mais ansiosos. Além disso, o procedimento evita diversas doenças, tanto em machos como fêmeas, como tumores nas mamas, útero ou próstata.

 

Transmita confiança para o seu amigo

Seu cãozinho tem que sentir que pode confiar em você a todo e qualquer momento – afinal, ele é seu melhor amigo e depende de você para tudo! Por isso, estabeleça rotinas, esteja presente e mostre para o seu cachorro que você estará lá para ele sempre que for necessário.

%d blogueiros gostam disto: