Primeiras impressões da volta do console Atari 2600

Olá Players!

No news dessa semana, falamos do Atari Flashback 7 – uma versão do Atari 2600 de 1977 que está sendo produzido pela TecToy aqui no Brasil e vendido a um preço árduo de quase R$500,00.
Possui 101 jogos na memória, mas com um desfalque de clássicos como Enduro, Pitfall e River Raid, entre outros jogos que necessitaria do licenciamento da Activision.

Também comentamos sobre a atualização gratuita (1.06) do jogo Nioh, onde foram adicionadas 10 novas missões focadas em arenas de batalhas ao invés de fases comuns. Além de um aumento significativo na dificuldade do jogo, junto do nerf em armas, habilidade e magias que dividiram opiniões entre os jogadores: uma parte gostou do jogo mais desafiador, outra parte não gostou da dificuldade exagerada, equanto outros gostaram do desafio, mas não concordaram na redução de skills que passaram tanto tempo para conseguirem.

E por fim, o anúncio do novo trailer da última e derradeira DLC de Dark Souls 3, que fechando com chave de ouro é de empolgar qualquer fã da franquia, trazendo uma área totalmente nova, com novos inimigos, batalhas no melhor estilo souls, e sim meus amigos… dragões. Aqui vocês conferem o trailer na íntegra

Sobre Atari 2600

Durante os anos de 1970[1], a Atari se destacou ao produzir dezenas de jogos para arcade. Tempo depois, Nolan Bushnell vendeu a empresa para a Warner, que tinha feito uma oferta irrecusável. Com o passar do tempo, houve um certo “choque” entre a nova direção e Nolan Bushnell por causa do modo diferente dele administrar a empresa, e também irritando os magnatas que tinham comprado a companhia. Isso culminou com Nolan Bushnell sendo despedido. O primeiro console foi o Atari VCS (Video Computer System), produzido em 1977. Seu preço era alto demais (em torno de 200 dólares), e uma sucessão de novos consoles foi lançado para tentar estabelecer uma fonte de renda segura, até que, em 1978, lançou o Atari 2600, de longe seu maior sucesso (e posteriormente o ícone da empresa). Novos consoles com mais recursos foram lançados posteriormente (como o Atari 5200, o portátil Lynx, e o mais recente Jaguar), mas nenhum chegou perto das marcas de venda alcançadas pelo 2600 durante os anos 80. Havia centenas de empresas produzindo jogos (que chegavam aos milhares de títulos) para o 2600, entre elas a SEGA, a Coleco, e a Nintendo. As vendas começaram a cair nos Estados Unidos entre 1983 e 1984. No Brasil foi lançado em 1983 pela Gradiente e continuou como o vídeo game mais popular até o final da década, quando a SEGA entrou no mercado com o Master System. Ainda assim, é possível encontrar até hoje programadores e pequenas empresas produzindo novos jogos compatíveis com esse console.

O insucesso frente às grandes marcas surgidas a partir da “terceira geração” de video games de 8 bits causou problemas financeiros na Atari. No início dos anos 90, a companhia investiu no portátil Lynx, que não teve a mesma aceitação que o concorrente Game Boy, da Nintendo. Em 1993 lançou, em parceria com a IBM, o Jaguar, console de 64 bits, e o mais avançado de seu tempo. Mas a carência de jogos e o alto preço do aparelho fez com que as vendas nunca decolassem, sendo mais tarde eclipsado pela Nintendo com o Nintendo 64, bem como pela Sony, com o seu primeiro console, o PlayStation.

Ao longo dos anos 90, a inabilidade da Atari em acompanhar o mercado de consoles culminou com a venda de suas divisões para diversas empresas de informática, terminando com a venda da própria marca para a Infogrames em 2001. Desde então, esta empresa usa o nome e o logotipo original da Atari em seus produtos, e assim produziu jogos de sucesso, como a série Civilization.

Allison Diogo

Futuro Administrador e produtor de conteúdo para o Youtube e afins.

%d blogueiros gostam disto: